Quando não contratar uma assessoria de imprensa

14 de junho de 2018 assessoria de comunicação

Se você está pensando em contratar uma assessoria de imprensa, é provável que você tenha uma estratégia de comunicação para executar.

 

Consolidar sua marca, tornar-se referência em determinada área e obter resultados significativos a médio e longo prazo são alguns dos itens que motivam as empresas e personalidades a contratarem esse tipo de serviço.

 

Mas, por outro lado, você sabe quando não contratar uma assessoria de imprensa? Vamos esclarecer quais são os serviços que uma assessoria de imprensa não executa. Desta maneira, você ficará ciente sobre as melhores práticas para sua marca.

 

Veja abaixo quando não contratar uma assessoria de imprensa:

 

1) Você não tem conteúdo para a imprensa

 

O trabalho de assessoria de imprensa é uma via de mão dupla. O assessor consegue boas publicações e bons veículos de comunicação quando seu negócio tem histórias para contar

 

Dados, avaliações, pesquisas, estudos e novidades são um prato cheio para repórteres e têm potencial para serem notícia.

 

Contudo, se não há nada novo ou inovador em sua empresa e se você não tem conteúdo que possa ser divulgado de maneira noticiosa, o trabalho pode não vai funcionar.

 

Ainda sim, você não precisa desistir caso não consiga imaginar o seu negócio na mídia.

Em uma reunião de briefing com uma assessoria de imprensa, os profissionais de comunicação vão direcionar os assuntos que podem ser abordados com base na rotina do seu negócio.

 

Por esse motivo, é importante sempre ter uma conversa franca e aberta com o seu assessor de imprensa. Desta maneira, as ideias vão fluir de maneira mais fácil e o trabalho terá maior garantia de qualidade.

 

Mas, é válido ressaltar, que a assessoria de imprensa é uma estratégia de comunicação eficaz na construção da marca e seu posicionamento. Sempre pautada pela veracidade das informações e dos acontecimentos da sua empresa.

Veja na prática:

O que tem potencial para ser notícia:

 

– Lançamentos, novas unidades de empresas, expansão de negócios, feiras, eventos, congressos e suas novidades, soluções, serviços e produtos revolucionários, pesquisas, estudos, levantamento de dados, artigos, notas oficiais, fusões e aquisições, novos investimentos, ações sociais, etc.

 

O que pode ter menos potencial:

Cursos privados, promoções, workshops, produtos com apelo comercial e foco em vendas, aumento de inscrições, etc.

 

Viu, só? O potencial da sua marca dar certo ao contratar uma assessoria de imprensa é alto, no entanto, avalie bem se é possível que seu negócio consiga desenvolver pautas junto a agência.

 

Conheça conteúdos potenciais para a assessoria de imprensa

 

2) Você quer controlar o que a mídia vai publicar

 

A assessoria de imprensa vai sugerir pautas com base em informações de interesse público e de relevância.

 

A assessoria de imprensa vai produzir um release ou artigo, que será aprovado por você e divulgado à mídia. Este material pode ser publicado na íntegra ou ser utilizado para compor uma reportagem com outras fontes.

 

Em caso de solicitações de entrevista com você ou sua empresa, esta pode ser feita por telefone, e-mail, pessoalmente ou em estúdio. Isto vai depender do prazo e da disponibilidade dos repórteres.

 

São eles, inclusive, que decidem o que será publicado, como e quando, se haverá outras fontes, personagens e mais dados para fechar o conteúdo.

 

O assessor de imprensa não tem controle sobre o que é veiculado, portanto, você também não terá. Pedir para ver a matéria, por exemplo, é inviável, uma vez que o jornalista deve ser imparcial na sua reportagem.

 

A questão é que, com uma assessoria de imprensa é possível pautar o jornalista e sua empresa, acompanhando entrevistas e te orientando nestas horas.

 

Uma assessoria de imprensa pode orientar sua marca a se relacionar com a mídia

 

Confira com mais detalhes o passo a passo da assessoria de imprensa

 

3) Você não gosta de falar com jornalistas

 

É provável que, em algum momento, você possa ver os releases que foram revisados por você serem publicados na íntegra ou com poucas alterações em algum portal de notícias ou jornal.

 

Contudo, você não deve se acostumar com essa prática.

 

É muito comum e, inclusive, favorável para o seu negócio, quando um jornalista te convida para uma entrevista. Em geral, quando isso ocorre, são muito maiores as chances de a notícia ter mais visibilidade e destaque.

 

Falar com um jornalista é proveitoso tanto para que informações de interesse público sejam divulgadas com mais destaque, quanto para o seu relacionamento com a mídia.

 

Ao atender bem um repórter, você pode se tornar uma das fontes preferidas dele, o que fará com que você seja lembrado como fonte para futuras matérias.

 

Para evitar frustrações da imprensa, é recomendado que sua empresa tenha porta-vozes preparados para atender a mídia, seja ela impressa, digital, rádio e TV. Além de ter disponibilidade para fazer fotos exclusivas ou ter fotos profissionais.

 

Como treinar porta-vozes na assessoria de imprensa

Porta-vozes bem preparados são fundamentais para lidar com a mídia

 

4) Não quer divulgar informações

 

Ao contratar uma assessoria de imprensa, você deve saber que é preciso alimentar a mídia com informações verídicas e de interesse público.

 

Em muitas vezes, você pode ser solicitado a falar sobre a sua empresa, suas expectativas de crescimento, investimento e, até mesmo, divulgar informações sobre atendimento e expansão.

 

Você não terá de expor nenhum segredo pessoal ou informação sigilosa, exceto em crises de imagem que envolvam outros profissionais e investigações. Sua assessoria de imprensa deverá orientá-lo sobre o que é confidencial e o que é de interesse público.

 

Entenda mais sobre como a assessoria de imprensa vai impactar a mídia

 

5) Você busca resultados em curto prazo

 

O trabalho de uma assessoria de imprensa pode não trazer resultados em curto prazo. O seu assessor de imprensa deve elaborar um planejamento de comunicação junto com você. Desta forma, será possível estabelecer temas e abordagens com a mídia.

 

Os primeiros resultados podem até aparecer a curto e médio prazos, mas os frutos mais significativos do trabalho são em médio e longo prazos.

 

Isto acontece, pois, a sua assessoria de imprensa precisa de tempo para apresentar sua marca aos jornalistas, cavar pautas, checar com a mídia quais assuntos estão sendo produzidos e apresentar você e seu negócio como fontes de relevância para o veículo.

 

Isso pode não acontecer em 30 dias.

 

O trabalho da assessoria de imprensa é diário e deve ser constante, porque o trabalho de branding exige um profissional dedicado e estratégias de PR consistentes.

 

Pare para avaliar: quando você pensa em smartphone, qual marca lhe vem à cabeça? E refrigerante?

 

Veja que, para atingir um posicionamento de marca referência pública é necessário um trabalho de assessoria de imprensa dedicado e, preferencialmente, constante.

 

Em longo prazo, a assessoria de imprensa pode tornar seu nome referência em credibilidade e, neste momento, você verá resultados mais consistentes.

 

Assessoria de imprensa traz retorno?

 

 

Separamos 5 dicas para escolher uma agência de comunicação 

 

6) Seu único objetivo é vender mais

 

A assessoria de imprensa não é um trabalho direto de vendas. Ações indiretas de consolidação da sua marca ou do seu nome vão direcionar os clientes certos para você.

 

Ao tornar-se uma referência no mercado, os números de vendas e a fidelidade dos clientes podem aumentar de forma natural.

 

Contudo, se o que você deseja é aumentar as vendas instantaneamente, a assessoria de imprensa não é a estratégia certa.

 

Lembre-se, assessoria de imprensa é construção de marca e não é um trabalho comercial. Não exija da sua agência números que comprovem matérias publicadas x vendas fechadas.

 

 

 

7) Quero propaganda gratuita dos meus produtos

 

A grande diferença entre o trabalho de uma agência de publicidade e uma assessoria de imprensa está na credibilidade para o receptor da mensagem.

 

Quando uma propaganda é veiculada, quem está lendo, assistindo ou ouvindo sabe que aquele conteúdo foi pago para estar ali. É patrocinado e nada de errado há com isso.

 

Já quando uma reportagem é feita, o leitor entende que o conteúdo é relevante, pois foi produzido por um jornalista e um veículo de comunicação. É uma reportagem que tem o veículo como credibilidade.

 

Por conta desta diferença, um repórter não fará um texto para simplesmente promover o seu produto ou serviço, pois esse seria o papel de um publicitário.

 

O jornalista tem a função de publicar conteúdo relevante e informativo de interesse público, não com base em interesses meramente comerciais.

 

No entanto, o que parece ser uma desvantagem é justamente a grande vantagem deste tipo de trabalho. Quando a assessoria gera conteúdo ou indica pautas para serem desenvolvidas pela mídia, o peso do que é publicado é muito maior.

 

Portanto, o trabalho desenvolvido reflete por muito mais tempo nos resultados da reputação da sua empresa.

 

Se você quer uma avaliação da sua marca e sobre o potencial dela ser referência na mídia, entre em contato pelo formulário abaixo:

 

 

Talita Scotto é diretora da Agência Contatto, especializada em assessoria de imprensa e produção de conteúdo